O relato lancinante e irônico de um homem em vivissecção, desfiando a mentira nas relações: mulher, filhos e a mãe que ainda vai conhecer. Um romance convulso, urgente, que perturba e diverte.

 

 

Seis e meia da manhã: desperto para mais um dia de trabalho. As veleidades humanas sairão de cena e entrará em seu lugar o rigor analítico exigido pela investigação científica. A malária ainda é, mesmo nos dias de hoje, a maior endemia do mundo. No ano de 2009, foram registradas setecentas e oitenta e uma mil mortes decorrentes da malária. Hemácias parasitadas por plasmódios são menos densas do que as não parasitadas. Mesmo nos dias de hoje, a maior endemia do mundo ainda é a malária.. A densidade das hemácias diminui conforme o grau de amadurecimento do parasito. A CSP é a principal proteína de revestimento do esporozoíto encontrada na fase pré-eritrocítica do ciclo. A malária ainda é a maior endemia do mundo. O elevador acaba de enguiçar, acho que vou me deitar em posição fetal, aninhado pelo silêncio e pela escuridão, com sorte todos eles se esquecerão de que eu me esqueci aqui dentro. Fui transformado no espectro de mim mesmo, talvez chegasse o momento de me tornar um ser invisível ou mimético, um filho da natureza bruta, libérrimo, e não um homem-massa, órfão da humanidade. Sinto falta de minha mãe e do pai que nunca tive, na verdade sinto mais saudade do pai que nunca tive do que de minha mãe.

É a dor perene que alimenta a imaginação infértil, paralisada pela ausência de traços e sons. Mãe, é chegada a hora de se apresentar, estou velho o suficiente para lhe dar as mãos, e quem sabe compreender os porquês da vida finita. Isadora, minha filha, cuja virtude reside na coragem de se assumir como alguém sem mais ou menos importância do que os outros, você é um encanto. É preciso inteligência para aquilatar com alguma precisão o valor do que somos levando em conta tudo o que desconhecemos. Ricardo, nossa relação foi eivada de ódio no momento em que disse ter pena de si mesmo por conviver com um pai tão cínico e intransigente. Eu não gosto de você, meu filho, pegue todo o seu arcabouço intelectual e enfie no orifício mais próximo. Creio que eu não seja mais uma pessoa de abraços e estou querendo rimar.. Azar com arrapazar, sangue com buldogue, mamão com carapazão. Acaçapadora com traidora, feliz com meretriz e cidadão com bobalhão. […]. Tentei conversar com alguns colegas, não me lembro ao certo quantas tentativas foram, mas quase todas elas esbarraram em minha inapetência existencial. Acenei para alguns transeuntes, mas não fui cumprimentado, e me entristeço pelo fato da multidão não ter me reconhecido. A hora convulsa parece escapar por entre os dedos daqueles que só desejam permanecer onde estão, e não demorou muito para o zelador perguntar se alguém estaria preso no elevador..

— Tem alguém aí? Responde!

 

Andrea Rangel é jornalista e foi produtora do programa Globo Ciência, quando entrou em contato com a obstinada visão científica. Hoje trabalha em programa social de ressignificação das bibliotecas públicas brasileiras.

 

Gostou? Quer ler mais?
Então faça esse livro acontecer!

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Parasito
de Andrea Rangel

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Oferta
Um projeto editorial de Andrea Rangel

O relato lancinante e irônico de um homem em vivissecção, desfiando a mentira nas relações: mulher, filhos e a mãe que ainda vai conhecer. 


Para fazermos esse livro acontecer, precisamos chegar a 150 exemplares pré-vendidos.
Número de exemplares:

Preço promocional de pré-venda
(20% de desconto).
R$47,00 R$37,00

Total pré-vendidos até agora:
→ 103 exemplares

 

Data limite:
20 de março de 2018